Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
 
Home INALENTEJO cumpre regra do N+2 - conhecida pela “regra da guilhotina”
INALENTEJO cumpre regra do N+2 - conhecida pela “regra da guilhotina”
Quinta, 07 Novembro 2013 09:18

INALENTEJO cumpre regra do N+2 -  conhecida pela “regra da guilhotina”No dia 31 de outubro de 2013, a taxa de execução do INALENTEJO atingiu 55 % da dotação global de fundos prevista executar até 2015, o que corresponde a 609,6 Milhões de euros de volume de despesa realizada e 460,3 Milhões de euros de fundo comunitário validado.

O INALENTEJO encontra-se já com praticamente a totalidade das verbas comprometidas, representando um volume de 1 977 projectos de investimento aprovados, os quais implicam um investimento total de 1 318,5 Milhões de euros e uma comparticipação do fundo comunitário FEDER de 856 Milhões de euros. Neste momento decorre a última fase de análise de candidaturas.

Estes dados evidenciam que o INALENTEJO ultrapassou a meta de execução imposta pela regra do N+2, conhecida pela "regra da guilhotina", que impõe metas de execução aos Programas Operacionais sob pena de anulação automática de Fundos e consequente devolução de verbas à Comissão Europeia.

Os esforços que têm vindo a ser desenvolvidos, quer pela Autoridade de Gestão do INALENTEJO e respetiva equipa técnica, quer pelos próprios Beneficiários do Programa, sem a colaboração dos quais não é possível demonstrar a execução, revelam assim resultados positivos, e as expectativas são promissoras relativamente ao valor de execução a atingir no final de 2013.

Na agenda temática Factores de Competitividade, destaca-se o apoio concedido pelo INALENTEJO a 543 empresas beneficiárias de ajudas directas ao investimento, no âmbito dos sistemas de incentivos, representando um investimento total de 580,7 Milhões de euros. Na agenda temática Valorização do Território destaca-se o apoio a 68 equipamentos de saúde e 79 equipamentos de sociais, enquanto na agenda do Potencial Humano se destaca o apoio aos estabelecimentos da rede escolar (centros escolares do 1.º ciclo do ensino básico e escolas dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico.

Em simultâneo, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo foi incumbida pelo Governo de preparar regionalmente (NUT II) a programação do novo ciclo de fundos comunitários, para o período de 2014/2020, tendo para o efeito dinamizado um processo técnico e de participação e consulta pública na região, em que a colaboração e a parceria empenhadas dos actores regionais representativos das diferentes dimensões (política, económica, social, ambiental e associativa) tem sido um elemento determinante.

O Alentejo deve pois perspectivar o seu futuro partindo dos recursos do território (permanentes e construídos) e saber usar com inteligência as suas amenidades urbanas, paisagísticas e ambientais para atrair residentes, visitantes e renovados fluxos de investimento, o que perspectiva uma estratégia de desenvolvimento para a Região ancorada na seguinte Visão:

Um Alentejo com capital simbólico e identidade distintiva, num território dotado de recursos materiais, de conhecimento e competências e de amenidades, aberto para o mundo e capaz de construir uma base económica renovada sobre a sua mais valia ambiental, atraindo residentes, investimentos e actividades geradoras de emprego e coesão social.

 


 
Faixa publicitária

EVENTOS

Ano 2015


linha_bottom
Inalentejo Qren EU ccdra